Arquivo de julho, 2005

NINO

terça-feira, julho 19th, 2005

NINO

 

 

Não sei mais beijar, abraçar, acariciar,

Como fazem os que se amam!

Dizem os Dom Juans

Que não se desaprende, e ainda afirmam, categoricamente,

Que é só começar que uma energia turbulenta

Nos invade docemente,

Num estado de êxtase incontrolável!

 

Afirmam, outrossim,

Que é tão gostoso, que parar seria crime,

E continuar, sem dúvida, uma morte lenta e divina!

Eu queria morrer assim!

  

Dize-me onde te encontro, vamos!

Durmo e acordo assustado sem saber aonde foste… 

Quero ver-te ainda hoje.

Sou pequeno, sou menino

De braços abertos como quem diz:

Vem… Vem… Estou aqui, eu sou Nino! 

 

Não quero te perder 

Porque teu beijo é alimento nutritivo!

E os carinhos que reclamo

Curam a enfermidade do pequeno Nino!

 

Quero viver para sempre ao teu lado!

Quando eu soube que existias,

Gritei, pulei,

Corri em zigue-zague,

Como um cão pulguento, e sem destino;

 

E quando me acalmei, sorri e gargalhei!

Olhando para os céus, aprendi que ser feliz

É ter alguém que nos dê carinho… mas, muito carinho… 

 

 (Luiz ALPIANO Viana)

É INACREDITÁVEL…

sexta-feira, julho 1st, 2005

É triste mais é verdade! É inacreditável!
Os valores morais do cidadão ainda existem. Há, todavia, pessoas que se destróem a troco do ter e  do poder. Nada neste mundo compraria a dignindade de um homem.
A política que aí está não tem credibilidade e a corrupção já faz parte da cultura política do país. Em todas as repartições:  Prefeituras, Camâras, Governos de Estado, Estatais, Diretoria de estatal, Bancos, etc, está havendo, nesse instante, desvios de verbas, obras superfaturadas, enfim, nenhum setor da vida nacional escapa ileso da atuação dos homens de terno e gravata, portadores de diploma acadêmico. E as instituições, como Poder Judiciário e Congresso Nacional, estão seriamente desacreditadas também. Há, nesse meio, elementos cuja idoneidade moral deixa a desejar.
Isso que veio à tona não é característica exclusiva do governo atual. Essa roubalheira sempre existiu e nós, cidadãos comuns, sabemos muito bem que o Deputado Roberto Jeferson não está inventando nada, até porque ele é uma das principais peças desse xadrez!
A bomba só explodiu porque os políticos e empresários envolvidos na roubalheira, não estavam dividindo o bolo corretamente com  seus cúmplices. Foram os contratos dos Correios que deram início ao processo de denúncias quando uma das empresas contratadas, estava perdendo a concorrência para outra de preferência do Sr. Roberto Jeferson. A empresa que se julgava prejudicada, resolveu vingar-se e fez aquela gravação, com o funcionário dos Correios recebendo propinas. Se não tivesse havido desentendimento entre eles, estavam todos caladinhos. O denunciante abriu o bocão porque tem conhecimento de causa. Aliás, qualquer pessoa, por mais simples e ingênua que seja poderá denunciar os ilícitos dessa gente.
Em quaisquer lugares que se possa imaginar nesse país, existe  a cumplicidade do jogo de interesse. Se se fizer auditoria numa empresa ou órgão público de que não se tenha conhecimento de irregularidade, encontrar-se-á, certamente, porque já se tornou uma epidemia.  É um câncro mole!
%d blogueiros gostam disto: