Arquivo de março, 2012

CATÓLICOS E REENCARNAÇÃO

quarta-feira, março 21st, 2012

Católicos e Reencarnação

Prof. Severino Celestino da Silva
Entrevista publicada no jornal Diário de Natal (RN)

 

O escritor, pesquisador e professor Severino Celestino da Silva é considerado um dos maiores especialistas em estudos sobre a Bíblia no país.

Comparando os textos originais em hebraico com as diversas traduções em português ao longos dos últimos 40 anos de sua vida, Celestino diz ter encontrado distorções impressionantes. ”A reencarnação esteve presente na Bíblia de forma muito clara até o ano de 553, quando foi retirada do livro no famoso Concílio de Constantinopla”, afirma Celestino. Seu primeiro livro ”Analisando as traduções bíblicas” já vendeu mais de 25 mil exemplares no Brasil e já está na quinta edição. O próximo lançamento será a tradução do Gênese. Celestino também leciona quatro disciplinas na Universidade Federal da Paraíba: judaísmo, islamismo, cristianisno primitivo e espiritismo. 

Diário de Natal:

Quando surgiu essa paixão pela Bíblia e a vontade de estuda-la de forma tão profunda? Severino Celestino: Desde 1964, quando entrei no seminário e ganhei a primeira Bíblia de presente do meu Reitor. Foi aí que me fascinei pelo lado social e moral do livro, que me tocam profundamente. Em cima disso eu procuro unir a moral bíblica com a moral da doutrina espírita. Meu trabalho gira em torno de mostrar que nos textos originais, ao contrário do que muita gente quer falar nos textos em português, que a Bíblia não condena a doutrina espírita. Do Gênese ao Apocalipse, não existe religião alguma. A Bíblia é um código moral de ensinamentos, que nos liberta e leva a Deus de uma forma neutra. Jesus nunca pregou religião; ele pregou o amor. 

Há muitas diferenças entre os textos originais da Bíblia em hebraico e as traduções? Muitas diferenças, distorções e intenções. Eu não me preocupo muito em condenar quem faz isso e sim mostrar a verdade que está lá. Quem quiser seguir, siga, quem não quiser não pode dizer que não conhece.

Erros na tradução do hebraico ou são distorções forçadas? As raízes de todas as distorções estão nas traduções gregas. Por exemplo, quando você começa a estudar a Torah, que é uma palavra hebraica que significa ensinamento ou revelação divina. Quando você chega no grego, eles não chamam de revelação e sim de nomos, que significa Lei. Eles transformaram o que era uma revelação para uma Lei. E a conseqüência disso é que Lei é um princípio que regulamenta, proíbe e delimita. Enquanto o ensinamento é ao contrário, ele liberta. Não sei qual foi a intenção deles (gregos), mas eles foram os grandes mentores de todo o desvio entre o hebraico e as traduções em espanhol, inglês e português.

 
O senhor fala que os católicos voltarão a acreditar na reencarnação. Quando foi que eles acreditaram? A reencarnação está patente nos textos originais. A partir da criação do homem, no Gênese. Daí para frente você vai encontrando referências claras de reencarnação pela Bíblia. São provas claras de que a reencarnação fazia parte do cristianismo, até ser ”apagado” pelo Concílio de Constantinopla, algo que os estudiosos católicos negam até hoje, mas que está registrado historicamente. Isso seguiu até o famoso Concílio de Constantinopla, no ano de 553 da nossa era, que apresentava duas correntes: a corrente monofítica e a originista, que defendia a reencarnação, um princípio que já estava arraigado à Igreja. A rainha Teodósia de Constantinopla teve muita influência nesse Concílio, hospedando os monofisistas, pois era contra a reencarnação, uma vez que era muito devasta e tinha sido prostituta. As prostitutas de Constantinopla se orgulhavam em dizer que eram amigas da rainha, então ela mandou matar todas as quinhentas prostitutas. A partir daí, o povo passou a dizer que ela reencarnaria quinhentas vezes e, para não reencarnar, ela influenciou o Concílio, que assim foi muito tumultuado. Até mesmo o Papa foi excomungado e depois perdoado. A partir daí, a Igreja determinou que todo aquele que fosse a favor da doutrina de reencarnação seria anátema ou condenado. Portanto, essa foi a origem. Mesmo assim, você encontra no meio católico pessoas que aceitam a reencarnação. A Igreja Católica voltará a aceitar os conceitos da reencarnação. É só uma questão de tempo.

 
Indique uma Bíblia de boa tradução.
A Bíblia católica, chamada ‘Bíblia de Jerusalém’ (Edições Paulinas), eu considero como a melhor tradução para o português. Mesmo assim há algumas distorções.
 
R.PINHEIRO
 
( REPASSANDO SEM FANATISMO RELIGIOSO )

Anúncios

PARA QUÊ SERVE UMA RELAÇÃO?

terça-feira, março 20th, 2012

Texto de Dr. Dráuzio Varella

Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.

Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso.

Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada e bonita a seu modo.

Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.

Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem corpo um do outro quando o cobertor cair.

Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro ao médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

SEM TÍTULO (Não consegui o título do texto dessa jornalista)

segunda-feira, março 19th, 2012

Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado nem chega com hora marcada.

Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.

Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada dois em um , duas pessoas pensando igual, agindo igual, que isso funcionava.Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.

Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos.

Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.

Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas.

Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém.

Texto de Marta Medeiros – Jornalista (RS)

PARAFRASEANDO SEU TEXTO

terça-feira, março 6th, 2012

Texto de Luiz Alpiano Viana
 
 
Eu tenho apenas muita boa vontade! Você, não, tem formação superior!
A universidade lhe proporcionou, com o auxílio da psicologia, uma visão ampla das coisas. Eu penso dentro das minhas limitações, pois nem psicólogo sou! Você vê tudo do alto como se estivesse de avião e eu nunca voar, vou! Dizem os pássaros que é uma coisa fantástica, inexplicável! Da mesma forma falou, encantado, o astronauta americano quando viu lá de cima a terra redonda, no espaço!
 
Sabe, eu faço um esforço danado para escrever essas besteiras, essas baboseiras. Você discorda porque não é obrigada a aceitar e tem conhecimento suficiente para criticar. Mas mesmo assim vou continuar escrevendo minhas “pérolas”! Sabia você que me sinto bem fazendo sem saber o que os outros fazem sabendo?

Eu sou aprendiz nato! E sou o menor deles!
Quem é o menor pode – um dia – ser o maior!
Vou continuar lutando para assim, ser! Eu acredito que chegarei lá!
Você me ajuda brigar por esse lugar quando me ensina escrever, e não, falar…

%d blogueiros gostam disto: