Arquivo de julho, 2013

quarta-feira, julho 24th, 2013

VÃO-SE OS ANÉIS E FICAM OS DEDOS

 

 

Caminhamos de mãos dadas, sentimos a energia que flui do outro. Em algum momento as mãos se apertam, conversam e se acariciam. Esse momento é mágico! Nossos corpos se transformam, palpitam, agilizam-se e tornam-se conclusivos. A tarefa recomendada pelos impulsos de nossos desejos toma dimensão física. Fazemos história quando nossos pensamentos focam no mesmo sentido. Os objetivos só serão os mesmos se montarmos projetos com os mesmos ideais; jantamos e dormimos juntos que o calor de nossos corpos nos faz delirar sem parar; o cheira da pele embriaga até mesmo os mais experimentados da corte. E não há quem resista ao mais sagrado dos aconchegos dos casais . A noite passa como num piscar de olho. Se é Natal os fogos de artifícios enfeitam o céu e o romantismo da noite toma conta de tudo e abraça a admirável criatura que está ao nosso lado.

O dedo anelar não tem marca de anel de compromisso. Faz-me crer que na última vez que me falou de casamento, eu entendi simplesmente de namoro e por isso mesmo nosso caminhar encurta à proporção que a promessa não vinga. Cuida-se que todos os casais de namorados sejam parecidos, e, à medida que desdenham um do outro, apagam-se os fachos que norteavam o caminho que procurava a paz e o amor em sua escala de eternidade. Em nível de bem querer só os infelizes são desaconselhados a não prosseguirem em direção à montanha dos deuses. Pouco me importa se são gregos e se o Monte Olimpo está desabitado de benfeitores; e se suas magias são só embelezamento tribal. Não quero me despir de minhas atitudes até então projetadas a dois. Despisto da ideia de afastamento prolongado já que o tratamento do paciente requer cuidados especiais.

A taxa de satisfação mútua dos eternos namorados não é das melhores e julga-se que não há o que fazer para melhorá-la. Segue-se que todos os dias há lembranças de ambos os lados, mas a aproximação se deteriora cada dia. Faz-se muito pouco para que o dia amanheça mais rápido. E há de se entender que para que isso aconteça, serão necessárias muitas conversas bordadas de carinho com uma chuva de pétalas de rosas vermelhas. Difícil não é, porém é trabalhoso! Já se perderam quase todos os anéis, no entanto os dedos ficaram, estão intactos. Certamente outros anéis virão ocupar o espaço deixado do lado de lá e do de cá. Como serão essas joias que enfeitarão dedos lisos. Comprarei miçanga porque sou mesmo humilde de coração, não obstante sou puro nos meus atos. Tem miçanga de qualidade. O ouro pode ter só brilho e não valer nada.

Aposto em que no dia seguinte ao da transfiguração, haja calmaria de almirante nos mares e o céu esteja para brigadeiro valente e destemido. Só os heróis sabem porque têm esse nome e sabem também quão desagradável é lutar pelo que não mais lhe interessa. Justo e sábio é acreditar que dias virão em que ambos se magoarão de saudade e se infernizarão sem terem a solução que mais lhes fascinam. Matam-se de saudade um do outro e torturam-se com as próprias mãos sem saberem que o desgaste físico e emocinal é iminente. Acalentem-se antes de chorarem, pois o choro enfurece a alma e é doentio.

 

Solte OS Arquivos Aqui

(OU clique parágrafo fechar)

 

sábado, julho 6th, 2013

  1. Foto
%d blogueiros gostam disto: