Arquivo de março, 2014

EU O AMAREI EM QUAISQUER CIRCUNSTÂNCIAS

sábado, março 15th, 2014

O vento não é de praia, e o que sopra, mesmo sem areia, não me satisfaz. À noite, esperneia como que vasculhando meu passado a procura de algo que me incrimine. Não sou torto, pois minha postura é altiva e se assim não fosse me castigaria. Decerto sou igual aos outros que registram ao longo de sua caminhada erros e acertos. Mas, quando olho em minha volta não vejo gato, cachorro, etc.; não ouço o alarido do vizinho nem mesmo o buzinar dos automóveis na rua de frente. Todo dia faço as mesmas coisas! É um círculo vicioso pelo qual, como eu, muita gente passa.

Pensei que o som alto, para ouvir “ne me quite pas”, me incomodasse, mas não! Prestei muito atenção na tradução da letra e curti-a, silenciosamente até me empanturrar. Horas depois um ensinamento bíblico me abraçou fortemente e cochichou ao meu ouvido palavras de incentivo. Não era uma mensagem torpe igual a de quem não sabe o que diz, porém um aviso que me consolou.

Conversei com quem vinha ao meu encontro e nada comprometedor teceu sobre meu comportamento. Vez por outra leio o que não está escrito e disso tiro conclusões substantivas. Ler e não entender causa-me desânimo! Será que não me alfabetizei a ponto de não ler disfarce?

Noutro instante, vozes ecoam docemente quando absolvo da primeira vez o que me diz o simulacro. Entendo que devo ler mais para melhor assimilar a prolixidade das incertezas. Mas isso tem limite e me cansa. Cansei-me, realmente, de não compreender o que não está ao meu alcance.

De repente, esgueiro-me por trilhas tão difíceis que só mesmo meu coração me obrigaria a fazer. Nunca, mas nunca mesmo me senti num deserto, mesmo sabendo que os empecilhos são iguais para todos. Caminhos largos, estreitos, floridos, vegetação da caatinga e climas insalubres não sei aonde me levam. São as estradas de minha vida que sem asfalto queimam-me os pés e caio.

Por que quero tudo pronto? Quem sou eu para tanto merecer! Aqui, ali e acolá minha memória funciona e descubro que estou no lugar errado. A consolação que tenho diante dos desentendimentos que tenho com o mundo é palpável e sinto que algo me faz bem quando tomo uma decisão coerente.

Os pássaros só voam por voar, era o que eu pensava, mas não, eles saem em busca de alimento ou parceria. Têm uma programação. Cada animal sabe como procurar seu sustento, instintivamente ou não. Enquanto me elaboro para a vida, deito sobre mim as angústias, as alegrias, os infortúnios e até mesmo as vitórias que são muito poucas, mas que um dia existiram .

Preciso acreditar que não vivo só para mim, mas também para muita gente. Se o destino me tecesse um véu de ouro e prata, e, em cujo centro encrustasse uma bússola de pérola, apontando para o oásis da esperança, eu não me perguntaria com quem haveria de dividir esse presente! Mas todas as pessoas teriam seu quinhão já que sem elas o mundo não existiria. E, a qual delas daria eu tão valiosa joia? Não sei! Mas quando um ser justo me vir que sou humilde de coração, saberá comigo anoitecer na chácara, na praia, na choupana e no melhor lugar que juntos escolheremos!

Se me pregarem panfletos de elogios, falarão também de minhas inconsistências porque isso é notório em todas às salas de Londres.

Às vezes, sou indigesto, falo grosso, resmungo, grito, e ao mesmo tempo sorrio também. Vezes há que viro luzes que iluminam caminhos. Finalmente, uma pessoa pode ser um resplandecer para outra. Sirvo de modelo para uns e para outros, não. Tenho muito que fazer em meu nome. Quando surgem as oportunidades, distribuo meu sorriso, minhas ações bem humoradas e meus clichés de última hora. Agradeço àqueles que me procuram e me têm como exemplo de cidadania.

Eu tenho todas as mazelas do mundo porque sou humano. Vivo pelejando para não ser crudelíssimo e chato comigo mesmo. Os dias mais felizes por que passo, são os em que sinto que sou filho de Deus! Aí eu pulo e choro de alegria, sem me ufanar das ofertas que fiz.

Quem tiver pena de mim chegue mais perto e me pergunte o porquê do que fiz. Quero viver o resto do tempo urdindo de carinho a pessoa que me aceitar com minhas qualidades e defeitos. É mister que me convença e diga sempre sem titubear: – Eu o amarei em quaisquer circunstâncias!

Anúncios

ENSINAMENTOS DE JESUS

sexta-feira, março 7th, 2014

O por do sol tingido de ouro é sempre muito romântico, mas atrás dele tem a noite que sem a lua e as estrelas mete medo a todos. A negritude da noite é assustadora, embora outros animais estejam mais bem adaptados a ela. Há seres que se embrenham nas tocas ao raiar do sol, e outros, ao anoitecer. Alguns foram feitos para viverem dia e noite sem distinção.

A Lei de Deus nos ensina como vivermos em companhia um do outro. O dia a dia dos animais racionais e irracionais é um círculo vicioso. E qual de nós sabe o que nos espera no dia seguinte?

Se nos voltarmos para o Evangelho de Jesus, que diz sabiamente: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados; Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos; Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus” (Mateus 5: 4, 6 e 10). “Bem aventurados, vós que sois pobres, porque vosso é o reino dos céus. Bem aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados. – Felizes sóis vós, que agora chorais, porque rireis”. (S. Lucas, 6: 20 e 21). Mas ai de vós, ricos, que tendes no mundo a vossa consolação. – Ai de vós que estais saciados, porque tereis fome. – Ai de vós que agora rides, porque gemereis e chorareis. (S. Lucas, 6: 24 e 25)

Parece-nos que os ensinamentos do Mestre dizem que cada um de nós tem que passar por essas alternâncias de situações. Nosso dia a dia se apresenta assim: uns choram outros riem, uns morrem e outros nascem. Deus, em suas palavras deixa claro que passaremos pelos mesmos sofrimentos, dores e alegrias, alternadamente. Se nos debruçarmos por sobre esses ensinamentos, entenderemos que quem não foi rico, ainda será e quem ainda não foi pobre também o será. O que hoje é pai amanhã será filho; o que é negro no próximo nascimento virá branco e assim sucessivamente. Há muita justiça sobre isso.

EU SEI QUE ESTÁ AÍ

sábado, março 1st, 2014

Eu sei que está aí, que pede para ser mais, e, na calada da noite, faz versos e poesias; vê o amanhecer do dia num explodir de luzes, onde o céu banhado em ouro dá vida aos pássaros, aos colibris, às borboletas e aos anus. Só têm esse privilégio pessoas que Deus há muito conduz.

Sei que não fez o que quis, que além da época do encanto o amor foi seu amigo, que morria em braços largos e falava o que sentia.

Ah! Se soubesse que estou aqui! Faria algo para me ver de novo; repetiria todo o apogeu que a juventude nos logrou dos idos de nossa infância até os dias de hoje.

Se eu soubesse que estava aí, não perderia tempo conversando loas, já que a busca entre lençóis eu faço, meticulosamente, todas as noites!

A insônia, às vezes, dorme no meu travesseiro, e só de malvada me acorda à noite inteira para me dizer coisas boas que aconteceram entre nós dois!

Ainda estamos aqui! Que importa ver-nos mais? A adolescência passou mais rápida do que se esperava. Resta pegar da pena, frase nova rabiscar, falar de beijo e abraço, dos presentes então trocados, das noites feitas de frio, tecendo teias de amor como à aranha faz!

Ah! Se eu soubesse que mocidade tem fim, correria o mundo inteiro buscando mais um carinho, um aconchego a dois, ninguém é santo para viver sozinho!

O tempo que se foi não volta mais. Sinto saudade do que fui, do que fiz e até do que o tempo não me quis apresentar. Agora me sinto mais calmo, mesmo vendo o mundo menos colorido, mas sei muito bem por onde andar.

%d blogueiros gostam disto: