Arquivo de agosto, 2017

DIA DOS PAIS

quinta-feira, agosto 17th, 2017

 

Texto de: Luiz Alpiano Viana.

Certo dia, numa manhã como essa de sábado, Ele pregava, e, no meio da multidão surgiu uma pessoa avisando-lhe que seus pais e seus irmãos estavam lá fora e queriam falar-lhe. Ele continuou sua pregação como se nada estivesse acontecendo, e, depois de alguns minutos, olhando para os que estavam em sua volta, perguntou-lhes: Quem são meus pais e quem são meus irmãos? Ninguém ousou-lhe responder. (Jesus aproveitava todas as oportunidades para passar ensinamentos ao povo). Com sua infinita sabedoria, estendeu o braço em direção ao público e disse: Meus pais e meus irmãos são todos vocês! Essa é a mais bela lição que poderíamos ter no dia dos país. Lição de espiritualidade e amor que deveria estar gravada no coração de todas as pessoas, por todos os séculos.

Quer queiramos quer não queiramos, somos todos irmãos! Não importa se alguns são marginalizados e se no mundo do crime são assaltantes, criminosos, estupradores, delinquentes, assassinos, presos, etc. Importa-nos saber que temos o mesmo pai, o mesmo fim e um dia – pela graça de Deus – seremos espíritos evoluídos!

Depois de uma temporada aqui na terra, o príncipe, a rainha, o assaltante, o padre, o político, o empresário voltarão à casa paterna. A Lei do Senhor não tem dois pesos nem duas medidas; não tem cela específica para quem tem nível superior; também não tem uso de propina, muito menos se puxa malas de dinheiro pelos corredores do céu como se faz aqui nos estacionamentos da podridão política.

Dia dos pais! A expressão retrata muito bem o que disse o Mestre de todos os mestres: “Meus pais e meus irmãos são todos vocês!” Quis com isso lembrar de reencarnação. Reencarnação – segundo consta – é a maior justiça proclamada por Deus. Deus é Deus e nada faz errado porque é Deus!

Diz uma música popular que um dia todos nós seremos anjos! Acredito piamente nisso, mas também sou convicto de que numa única vida jamais chegaremos – sequer – perto dos querubins e muito menos dos serafins porque a evolução espiritual e muito lenta. Aí está clara a necessidade de ter-se outras vidas para transformar o processo de aprendizagem em melhoria espiritual. Deus não nos criou para sermos delinquentes, criminosos… Fomos criados por um Pai Santo e sua obra também o é. Por esse motivo seremos também santos se assim o quisermos.

Esse pai que tenho hoje poderá já ter sido ou ainda será meu filho em outras encarnações. O filho lindo e maravilhoso de quem me orgulho de ter, poderá ter sido minha mãe, minha esposa. Sabe-se – pois – que o espírito não tem sexo e ao longo dos milênios poderemos passar pelas mais diversas experiências para o bem do aperfeiçoamento espiritual. A reencarnação traz a experiência da riqueza, da pobreza, da dor e do sofrimento. Nesse momento, o trono do orgulho e do egoísmo começa a ser desmontado, e com a humildade adquirida chegaremos mais próximo da presença do Pai.

Sabe-se – entrementes – que cada dia é um novo recomeço. Quem lê esse texto tem consciência de que somos da mesma origem, isto é, filhos de Deus. Por conseguinte, somos irmãos, pais e filhos como bem disse Jesus quando pregava. É verdade que voltaremos à casa do pai assim que Ele achar conveniente e dele receberemos as instruções de como crescer nesse mundo de provas e expiações em que vivemos.
Aqui é o lugar apropriado para nós que ainda somos espíritos imperfeitos, cheios de orgulhos e loucos por dinheiro. Contudo, de nada adianta juntar dinheiro e não poder levar. Os tesouros aqui ficam com aqueles que foram treinados com a mesma ganância pelo poder. Somos pequenos demais – meus irmãos! Levar dinheiro numa mala para o céu, se lá não tem banco nem caixa eletrônico, como também paraísos fiscais, é imperfeição crudelíssima.

O dia dos pais nos traz nobre lição de irmandade; e quanto mais rápido for o crescimento espiritual, mais rápido também será nossa ida para os mundos superiores.

Disse Jesus aos seus discípulos: Elias já veio e não perceberam! Ele falava de João Batista que era Elias. Veio com outro nome e com outro corpo; assim também acontece com nós nas idas e vindas, no seio da mesma família e ninguém reconhece. Pai ama e cuida da família!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: